Este website utiliza cookies para nos ajudar a prestar-lhe um melhor serviço aquando da sua visita ao nosso site. Ao continuar a utilizar este website, está a permitir a nossa utilização destes cookies. Continuar

Formação

Ensinar e Aprender

O ensino de canções pressupõe o conhecimento de um conjunto de princípios, técnicas e estratégias que podem determinar o sucesso da aprendizagem.

Apresentam-se aqui alguns desses princípios, técnicas e estratégias.

 


 

I – Trabalho prévio a realizar pelo Professor 

 

  • Ouvir a canção com a partitura de forma a apropriar-se da música.
  • Analisar cada canção do ponto de vista rítmico e melódico.
  • Identificar as frases melódicas de cada canção.
  • Verificar a relação do texto com o ritmo e com a melodia.
  • Cantar a canção.
  • Cantar a canção com o acompanhamento áudio de forma a interiorizar o tempo e a estrutura da canção.


II – Ensino das canções


O ensino das canções pressupõe o conhecimento de um conjunto de princípios, técnicas e estratégias que podem determinar o sucesso da aprendizagem.

 

A – Considerações gerais

 

  • As crianças precisam de um bom exemplo vocal.
  • As crianças aprendem mais facilmente seguindo o exemplo da voz humana do que o som de qualquer outro instrumento.
  • Como motivação inicial para a aprendizagem de uma canção, procurar criar um ambiente e fazer um enquadramento estimulante da canção de forma a tornar a atividade interessante.
  • O aquecimento vocal é indispensável antes da aprendizagem de canções


B - Contexto do ensino


As estratégias para o ensino das canções podem variar dependendo de vários fatores:

  • o grupo de alunos (idade, grau de desenvolvimento musical, número de alunos)
  • o espaço físico
  • o tempo disponível
  • as características musicais da própria canção.

 

III -  Aquecimento vocal

 

O aquecimento vocal serve para ativar o sistema muscular do corpo que está envolvido no processo de cantar, incluindo a laringe e serve também para libertar tensões, “soltar” a voz e focar a atenção no processo de emissão vocal.

O aquecimento vocal compreende vários passos:

  • energização e relaxamento do corpo – desbloquear tensões e ter energia;
  • postura – o corpo suporta a voz e por isso uma boa postura contribui para a qualidade do som;
  • respiração – é fundamental treinar a respiração correta ( o ar sai e a barriga vai para dentro, o ar entra e a barriga vai para fora);
  • homogeneização dos registos – a criança deve compreender que tem “duas vozes” ao seu dispor para produzir som (registo grave  - voz de peito e registo agudo – voz de cabeça);
  • ressonância – se as crianças têm uma voz nasalada não devem fazer exercícios de ressonância;
  • articulação – um dos principais articuladores é a língua (músculo muito forte e importante para o canto e fala – precisa de estar livre e solta para que as palavras sejam entendidas).

 

IV – Estratégias e técnicas para o ensino das canções

 

  • Existem várias estratégias para o ensino de canções, sendo preferível a sua diversificação.
  •  A abordagem a uma canção pode ser inicialmente feita através do texto ou da melodia ou do ritmo.
  • Para qualquer destas abordagens é fundamental ter interiorizado o tempo/pulsação de cada canção.
  • O ensino das canções pode ser feito por imitação/reprodução de pequenas frases.
  • O método de pergunta-resposta, juntando uma frase de cada vez, até ao final é uma boa possibilidade: o professor canta uma frase e pede às crianças que respondam imediatamente, cantando, e assim sucessivamente, juntando todas as frases até ao final. Juntar gestos e movimento pode ajudar à melhor compreensão e memorização da canção.
  • É preciso dar tempo para se interiorizar a aprendizagem.
  • A repetição é fundamental para a aprendizagem musical e a introdução de algumas variáveis expressivas contribui para manter a motivação das crianças.
  • O professor pode salientar a importância do fraseado, da respiração e das variações de dinâmica para uma melhor qualidade sonora e expressiva.
  • Poderá também, com as mãos, mostrar a forma da melodia.
  • É fundamental utilizar a imaginação e criatividade nos exercícios.
  • Quando se ensina uma canção é preciso ter em mente que não se está só a ensinar notas e ritmo, mas também modos de cantar e usar a voz com intencionalidade expressiva.
  • Manter um bom ritmo na sessão de canto é muito importante. Lembre-se: falar menos, cantar mais!
  • Para conseguir ouvir os erros e as inseguranças das crianças evite cantar ao mesmo tempo que elas.
  • As crianças devem abrir bem a boca ao cantar para obter melhor sonoridade e volume de som.
  • Uma boa articulação das palavras é essencial para a perceção do texto.
  • Corrigir os erros assim que forem detetados contribui para uma correta aprendizagem. Uma boa estratégia pode ser a repetição de frases usando sílabas onomatopaicas, usar diferentes timbres de voz e “brincar” com a situação. Isto pode ajudar as crianças a ultrapassar as dificuldades mais facilmente.
  • Não esquecer de dar o tom inicial e a pulsação. Pode cantar apenas o primeiro som ou, para maior segurança, as primeiras notas.
  • No caso do uso do áudio com Voz e acompanhamento para apoiar a aprendizagem das canções, as crianças devem ouvir as vezes necessárias antes de cantarem com o acompanhamento.
  • É importante que as crianças se consigam ouvir enquanto cantam. É preciso ter atenção ao volume do suporte áudio para que este não se sobreponha às vozes das crianças.

 

V - Proposta de atividades para a aprendizagem das canções

 

  • Criar um ambiente para a contextualização das canções. Por exemplo, fazer perguntas sobre a temática da canção, contar uma história, motivar as crianças para fazerem relatos ou debates sobre o tema, criar personagens, fazer mímicas, reinventar histórias, etc., integrando experiências multissensoriais.
  • Relacionar as canções com a vida do dia a dia.
  • Pedir às crianças que inventem movimentos/posturas/gestos que se relacionem com o tema das canções.
  • Organizar os movimentos das crianças por grupos (de tipo de gesto/movimento) alternando a apresentação de uns e outros, de forma a que todos conheçam os movimentos dos vários grupos.
  • Fazer os movimentos acompanhando uma dada pulsação, estabelecida pelo professor ou por uma música.
  • Com o áudio, fazer os movimentos selecionados pedindo às crianças que acompanhem o ritmo  da música (pulsação, tempo ou outro).
  • Definir momentos da canção em que um movimento, respeitando a pulsação, alterne com outros mais livres.
  • Com as crianças em círculo, introduzir o texto da canção: o professor diz uma frase, com o ritmo, e as crianças repetem.
  • As frases ritmicamente iguais podem ser trabalhadas em conjunto.
  • Jogos de exploração de sonoridades da voz falada: timbre (voz assustadora, voz da bruxa, voz doce, voz triste, etc.), dinâmica (voz suave, forte, cada vez mais forte, cada vez mais fraca, etc.), articulação (soletrar cada sílaba, cada palavra, muito bem explicado, mexendo bem a boca), altura (sons agudos e graves), tempo (rápido, lento, cada vez mais rápido, cada vez mais lento).
  • Repetir esta estratégia para a aprendizagem da melodia da canção.
  • Fazer o jogo de não cantar algumas palavras ou frases da canção. Pedir às crianças que interrompam o canto numa frase ou palavra e que continuem nas outras frases ou palavras seguintes (desenvolvimento da audição interior).
  • Para auxiliar a aprendizagem da canção e aprender a estrutura musical (forma), podem associar-se a partes iguais movimento/gestos semelhantes.
  • Depois de aprendidas, juntar todas as partes (movimentos/gestos e texto) da canção.
  • Explorar os sons do corpo e/ou dos instrumentos, improvisando eventuais acompanhamentos para as canções.