Este website utiliza cookies para nos ajudar a prestar-lhe um melhor serviço aquando da sua visita ao nosso site. Ao continuar a utilizar este website, está a permitir a nossa utilização destes cookies. Continuar

Tradicionais

Rodrigo Martínez

Vilancete de autor anónimo renascentista, escrito para três vozes, compilado num dos mais volumosos cancioneiros poético-musicais portugueses (Cancioneiro de Paris). A melodia é construída sobre um célebre baixo ostinato, a Folia, que serviu de base a esta e a muitas outras peças musicais.

Selecionar Versão:
Voz e acomp.
Acompanhamento
Melodia e acomp.
Pauta
Análise musical da canção

 

Características melódicas 

 

A melodia está no modo de Ré (Dórico) transporto para Fá, com diesis (alteração ascendente do 7º grau no final de frases) e tem um âmbito de 4ª Perfeita [Mi 3 – Lá 4].

É constituída por intervalos melódicos de 2ª (m e M), 3ª (m e M), 4ª Perfeita. As frases melódicas coincidem com os versos das estrofes.

 

Características rítmicas

 

A melodia está escrita nos compasso 3/4, ternário de tempos de divisão binária.

O ritmo é silábico, com uma estreita ligação com a prosódia do texto e quase exclusivamente escrito em colcheias, semínimas e com mínimas no final da frases.

O andamento é Allegro (semínima=153). 

 

Forma

 

Forma binária (AB).

A melodia divide-se em duas partes que se desenvovem em torno do texto. 

 

Arranjo/Instrumentação

 

 

O arranjo segue o plano formal seguinte: Introd. ABB ABB ABB AB Coda.

O arranjo procura manter uma sonoridade renascentista usando alguns instrumentos da época. Mantém a polifonia/harmonia original (3 vozes no instrumental) do Vilancico.

A textura musical é pouco densa, mas bastante rica, usando instrumentos de percussão para acompanhar os instrumentos que interpretam as frases melódicas, podendo escutar-se: flauta de bisel medieval; alaúde medieval; Turkish Oud Lute; percussão tradicional europeia e outras tal como Tapan; Címbalo; Bones (ossos);  Air tank (metal); Frame drum; Bodhran e Pandeireta italiana.

Ficha da canção
Download
Pauta
Letra

Rodrigo Martínez

 

Rodrigo Martínez

a las ánsares Ahé!   

Pensando qu'eran vacas

silbábalas Ahé!     

Rodrigo Martínez atán garrido.(bis)

                                                                                  

Los tus ansarinos

llévalos el río Ahé!

Pensando qu'eran vacas

silbábalas Ahé!     

Rodrigo Martínez, atán loçano.(bis)

                                                                                  

Los tus ansarinos

llévalos el vado Ahé!        

Pensando qu'eran vacas

silbábalas Ahé!    

Rodrigo Martínez, atán discreto.(bis)

 

Los tus ansarinos

llévalos el viento Ahé!     

Pensando qu'eran vacas

silbábalas Ahé!     

 

TAGS
dança, amo, natureza, animais, cancioneiro
A Minha Lista